COREIA DO NORTE ESTARIA CRIANDO ALIANÇA COM VENEZUELA E CUBA CONTRA HEGEMONIA DOS EUA?

Mundo 29 de Novembro , 2018 980

COREIA DO NORTE ESTARIA CRIANDO ALIANÇA COM VENEZUELA E CUBA CONTRA HEGEMONIA DOS EUA?

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, encontrou-se em 27 de novembro com o presidente da Assembleia Popular Suprema da Coreia do Norte, Kim Yong-nam. Na turnê do alto funcionário norte-coreano estão previstas também visitas a Cuba e ao México. Analistas comentam os possíveis objetivos da viagem oficial.

A chegada de Kim Yong-nam marca um novo passo nas relações entre Pyongyang e uma região tão distante, sublinha a matéria da Sputinik.

O desenvolvimento das relações entre a Coreia do Norte e a América Latina foi notado já no início de novembro com a visita do presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, à Coreia do Norte.

 

O encontro resultou na firmação de dois acordos de entendimento e cooperação política, consultas políticas em assuntos de interesse comum e abolição de vistos para titulares de passaportes diplomáticos e de serviço.

Segundo o cientista político venezuelano Walter Ortiz, o objetivo que procuram tanto a Venezuela como a Coreia do Norte é aprofundar os laços políticos e diplomáticos bilaterais.

O analista sublinha que os dois países há algum tempo que estão fortalecendo as relações, especialmente na política, e a visita de Kim Yong-nam é um sinal de avanço nas relações exteriores.

Porém, destacou Ortiz, esta tendência contraria os interesses dos Estados Unidos. O presidente norte-americano Donald Trump deixou claro que pretende restaurar a doutrina Monroe ("A América para os americanos").

"A Coreia do Norte quer construir com a América Latina linhas de laços socioeconômicos e políticos sem a exclusiva interferência dos interesses estratégicos dos Estados Unidos", acrescentou.

Em busca de aliança clandestina?

Para Yevgeny Kim, especialista da Academia de Ciências da Rússia de origem coreana, a visita de Kim Yong-nam tem por fim, em primeiro lugar, estreitar os laços da Coreia do Norte com os países que optaram pelo caminho de desenvolvimento socialista.

 

"Coreia do Norte, Venezuela e Cuba obviamente recorrerão a uma política que não está de acordo com os interesses norte-americanos […] Está claro que Washington não gosta nada quando estes três países tentam coordenar suas ações a um nível tão alto", falou Kim para a Sputnik Mundo.

fonte: Sputinik